Puritan Bennett™ 980

O novo ventilador Puritan Bennett™ 980 ajuda o paciente a respirar mais naturalmente por meio de uma das mais inovadoras tecnologias disponíveis para o suporte ventilatório. Nosso design simples, seguro e inteligente fornece uma ventilação mais natural, que pode ajudar os clínicos a melhorar o conforto do paciente.1

Simples 
Interface inovadora, amigável, tela altamente customizável com navegação intuitiva.

Seguro 
Desenvolvido com exclusivas características de ventilação de segurança e sistema de filtração expiratória integrado.

Inteligente 
Ferramentas avançadas de sincronia ajudam os clínicos a ajustarem o ventilador para se adaptar às necessidades individuais do paciente e ajudam a proporcionar um nível adequado de suporte.


JUNTOS PARA REDUZIR O DESCONFORTO NA UTI


A experiência da UTI pode ser muito perturbadora e desconfortável para os pacientes. A consciência e a capacidade de comunicação estão limitadas, os pacientes têm pouco controle sobre seu próprio conforto.2, 3

Limiar entre ajudar e prejudicar
Por necessidade, máquinas e cuidadores assumem o controle sobre as decisões mais instintivas que os pacientes tomaram durante a vida toda, como quando comer, se locomover, moderar sua temperatura corporal e, no caso de pacientes ventilados mecanicamente, quando e como respiram.4

Estes fatores provavelmente contribuem para os impressionantes 71% de pacientes em terapia intensiva que mostram sinais de agitação, pelo menos uma vez durante sua estadia na UTI. Com o objetivo de aliviar a angústia dos pacientes, os clínicos, frequentemente recorrem à sedação.2

No entanto, um crescente volume de pesquisas tem confirmado um forte vínculo entre a sedação e a piora dos resultados dos pacientes.3


QUANDO O SUPORTE VENTILATÓRIO INTERROMPE O PROGRESSO


Embora seja uma intervenção necessária, a capacidade dos modos convencionais de ventilação em corresponder aos padrões de respiração dos pacientes e gerenciar adequadamente o trabalho respiratório é limitada. Um estudo relatou que 42% de todos os aumentos na sedação são em resposta à assincronia do paciente-ventilador.5, 6

Sem uma melhor maneira para gerenciar a agitação do paciente, a sedação parece ser a única opção. Ainda que esse aumento na sedação possa prolongar a dependência do ventilador.2, 3


 


DESENVOLVIDO PARA AJUDAR OS PACIENTES A RESPIRAR DE FORMA MAIS NATURAL


O novo ventilador PB™ 980 foi desenvolvido para aumentar o portfólio da marca Puritan Bennett™ fornecendo uma ventilação mais natural que pode ajudar os clínicos a melhorar o conforto do paciente.1

As ferramentas avançadas de sincronia se adaptam às necessidades exclusivas do paciente e fornecem o nível apropriado de suporte durante toda a respiração, do início ao fim.

O ventilador realiza centenas de cálculos a cada 5 milissegundos para estar em sintonia com a demanda do paciente, garantindo que ele receba o fluxo e volume que quer – quando quiser – de respiração em respiração.


SOFTWARE PAV™*+


PAV™*+ permite que o paciente decida que tipo de respiração quer receber e ajuda os clínicos a entenderem claramente o trabalho exigido pelo paciente para completar cada respiração.

  • Com PAV™*+, o paciente define a frequência, profundidade e o tempo da respiração.
  • O fluxo é um indicador de demanda. Ele informa ao ventilador quando o paciente deseja iniciar a inspiração, o quão profunda deve ser a respiração, quando terminar a respiração e com que frequência o paciente precisa respirar.
  • O software PAV™*+ mede continuamente a demanda do paciente, medindo o fluxo e a pressão a cada 5 milissegundos.
  • À medida que a demanda do paciente muda, o software PAV™*+ muda o suporte ventilatório para atender à demanda do paciente na mesma respiração.

No software PAV™*+, quando a porcentagem de suporte é ajustada pelo clínico, o paciente e o ventilador estão compartilhando o trabalho total de respiração.

Mede R (resistência) e C (complacência)
O software PAV™*+ mede a resistência e complacência a cada 4 a 10 respirações.

Calcula o trabalho respiratório (WOB) com base nos dados de R (resistência) e C (complacência)
Quando R (resistência) e C (complacência) são conhecidos, é possível calcular a pressão gerada pelo paciente (PMUS) e o trabalho de respiração em tempo real, utilizando a equação de movimento. PMUS + PVENT = (fluxo x resistência) + (volume/complacência)

Fornece o indicador visual do WOB do paciente
Uma vez que a porcentagem de suporte é ajustada, os clínicos podem utilizar a barra de trabalho respiratório (WOB) para o feedback em tempo real sobre quanto de trabalho o paciente está realizando.

Fornecer feedback em tempo real sobre o trabalho respiratório permite que o clínico mantenha o paciente em um nível de trabalho sustentável – ajudando a reduzir o risco de atrofia muscular respiratória, enquanto descarrega potencialmente trabalho o suficiente para evitar a fadiga.10


SOFTWARE LEAK SYNC


O software Leak Sync previne o auto disparo e a assincronia causados pelos vazamentos.

  • Vazamentos devido à interface (máscara ou tubo endotraqueal sem balonete) são comuns durante a ventilação mecânica.11-13
  • O software Leak Sync detecta alterações de vazamento no sistema respiratório e o compensa, ajustando efetivamente a sensibilidade de disparo na presença de um vazamento, ajudando os clínicos a gerenciarem melhor o trabalho respiratório do paciente para inspirar.5,10

ESTUDO PUBLICADO

Desempenho de Compensação de Vazamento do Puritan Bennett™ durante a ventilação invasiva e não invasiva.14

Ventilação mecânica invasiva14
O ventilador Puritan Bennett™ 840 superou todos os outros ventiladores testados, exigindo menos respirações para atingir a sincronização durante os vazamentos maiores e menores.

O ventilador Puritan Bennett™ 840 exigiu menos respirações para sincronizar, durante os vazamentos maiores e menores, nos modelos pulmonares obstrutivos e restritivos e com PEEP 5 cm H2O e 10 cm H2O, em comparação com todos os outros ventiladores (p < 0,0001) testados.

Ventilação não invasiva14
Os ventiladores Puritan Bennett™ 840 e Philips Respironics™* V60 foram os únicos ventiladores que se adaptaram aos vazamentos maiores ou menores.

O ventilador Puritan Bennett™ 840 exigiu o menor número de respirações para se sincronizar sob todas as condições de teste.
 


AVANÇANDO O LEGADO


O ventilador Puritan Bennett™ 980 é construído sob a confiabilidade e sofisticada tecnologia de respiração assistida que os clínicos esperam da ventilação Puritan Bennett™

  • A sofisticação que você espera depende dos softwares: ventilação não invasiva – Versatilidade na aplicação da ventilação não invasiva, incluindo os modos SIMV e CPAP.
  • Software Bi-Level – Permite respiração espontânea a todo o momento. Flexibilidade para suportar ventilação bifásica e APRV. Sensor de fluxo proximal – Mede os fluxos, pressões e volumes correntes mais baixos direto da peça Y do paciente em aplicações neonatais.
  • Volume Control Plus – Ventilação de duplo controle (volume corrente alvo, pressão ajustada automaticamente) que permite ao paciente ter respirações espontâneas.
  • Software de Mecânica Respiratória – Monitora os principais parâmetros respiratórios para uma fácil avaliação do estado do paciente.
  • Software de Compensação do tubo – Supera precisamente o trabalho respiratório imposto pela via aérea artificial.

SEGURANÇA PARA VOCÊ E SEUS PACIENTES


O programa de garantia do nosso novo ventilador inclui:

VENTILAÇÃO DE SEGURANÇA
A ventilação de segurança garante o suporte ventilatório para o paciente, mesmo que ocorra uma falha no sistema. Continua entregando a ventilação suporte ventilatório o mais próximo das configurações de pré-configuração quanto viável.

EXIBIÇÃO DO STATUS
Uma tela adicional, localizada na unidade de fornecimento de respiração (BDU), exibe dados da ventilação, mesmo que a interface gráfica do usuário (GUI) não estiver disponível.

MODO DE ESPERA
Este recurso pausa a ventilação enquanto o paciente está desconectado e preserva as configurações, detecta automaticamente o paciente mediante a reconexão e retoma a ventilação.

 


Referências: 1. Grasso S, Puntillo F, Mascia L, et al. Compensation for increase in respiratory workload during mechanical ventilation. Pressure-support versus proportional-assist ventilation. Am J RespirCrit Care Med. 2000;161(3 Pt 1):819-26. 2. Siegel MD. Management of agitation in the intensive care unit. Clin Chest Med. 2003;24(4):713-725. 3. Tate JA, Devito Dabbs A, Hoffman LA, Milbrandt E, Happ MB. Anxiety and agitation in mechanically ventilated patients. Qual Health Res. 2012;22(2):157-173. 4. Patak L, Gawlinski A, Fung NI, Doering L, Berg J, Henneman EA. Communication boards in critical care: patients’ views. Applied Nursing Research. 2006;19:182-190. 5. Epstein SK. Optimizing patient-ventilator synchrony. Semin Respir Crit Care Med. 2001;22(2):137-152. 6. Pohlman et al Excessive tidal volume from breath stacking during lung-protective ventilation for acute lung injury. Crit Care Med. 2008;36(11):3019-23. 7. Levine S, Nguyen T, Taylor N, et al. Rapid disuse atrophy of diaphragm fibers in mechanically ventilated humans. N Engl J Med. 2008;358(13):1327-1335. 8. Hermans G. Increased duration of mechanical ventilation is associated with decreased diaphragmatic force: a prospective observational study. Crit Care. 2010;14:R127. 9. Haitsma JJ. Diaphragmatic dysfunction in mechanical ventilation. Curr Opin Anaesthesiol. 2011;24(2):214-218. 10. Manual de operações do ventilador Puritan Bennett™ 840. 11. Mahmoud RA, Proquitté H, Fawzy N, Bührer C, Schmalisch G. Tracheal tube airleak in clinical practice and impact on tidal volume measurement in ventilated neonates. Pediatr Crit Care Med. 2011;12(2):197-202. 12. Main E, Castle R, Stocks J, James I, Hatch D. The influence of endotracheal tube leak on the assessment of respiratory function in ventilated children. Intensive Care Med. 2001;27(11): 1788-1797. 13. Vignaux L, Vargas F, Roeseler J, et al. Patient-ventilator asynchrony during non-invasive ventilation for acute respiratory failure: a multicenter study. Intensive Care Med. 2009;35(5):840-846. 14. Oto J, Chenelle CT, Marchese AD, Kacmarek RM. A comparison of leak compensation in acute care ventilators during noninvasive and invasive ventilation; a lung model study. Respir Care. 2013; Disponível em http://rc.rcjournal.com/content/early/2013/05/21/respcare.02466.full.pdf+html. Acessado em 1º de janeiro de 2014.

Reg. M.S.10349000483 © 2015 Medtronic. Todos os direitos reservados. Medtronic, o logo da Medtronic e Outros, são em conjunto marcas registradas da Medtronic. ™* Marcas de terceiros são marcas registradas de seus respectivos proprietários. Todas outras marcas são marcas registradas de uma empresa da Medtronic.

Previous Article
SHILEY® - Tubos Endotraqueais
SHILEY® - Tubos Endotraqueais

PRÓXIMO
SHILEY® - Máscaras Laríngeas
SHILEY® - Máscaras Laríngeas

Qualidade e segurança no cuidado das vias aéreas.