OS MONITORES DE PROFUNDIDADE ANESTESICA NÃO SÃO IDÊNTICOS

A monitorização da profundidade anestésica é uma prática em ascensão no Brasil e no mundo. Este crescimento da monitorização, mais conhecida como monitorização do tipo BISTM, é um reflexo da quantidade de estudos publicados nos últimos anos, mais especificamente no Brasil após a publicação da Resolução 2.174/17, que enfatiza a recomendação desta prática nos pacientes com uso de monitores da atividade elétrica do sistema nervoso central.1

Esta classe de monitorização apresenta diferenciações clínicas que são importantes de serem observadas. Estas diferenças são ressaltadas no Consenso Brasileiro sobre Monitorização da profundidade anestésica de 2015: “Cada equipamento de avaliação da profundidade anestésica apresenta algoritmo próprio, com diversos indicadores e faixas de análises diferentes”.2

CADA ALGORITMO É UNICO

O uso de diferentes algoritmos pelos monitores do nível de consciência é amplamente descrito na literatura. Dentre essas diferenciações observadas está o refinamento dos algoritmos em comparação ao banco de dados de EEG de alta qualidade e da análise de especialistas. Sendo observado que a amostra de comparação dos bancos de dados é diferente para cada empresa, este será um determinante no poder dos indicadores/índices de cada monitor.3

A tecnologia de Monitorização BISTM foi desenvolvida na década de 1990 através da validação de seu algoritmo com uma análise da alta correlação com o EEG de mais de 5.000 pacientes que receberam uma ou mais quantidades de agentes anestésicos e que tiveram uma avaliação em conjunto da sedação.4,5

O algoritmo do BISTM reúne uma combinação de recursos que garantem uma leitura confiável para monitorização do nível de consciência dos pacientes submetidos a diferentes quantidades de anestésicos. Veja na Figura abaixo os componentes de leitura do algoritmo do BISTM

AS FAIXAS DE NORMALIDADE SÃO IGUAIS?

Assim como os algoritmos se diferenciam entre os sistemas de monitorização da profundidade da anestesia, as faixas de normalidade também podem ser diferentes.2 Esses valores são obtidos após o pré-processamento dos dados para o cálculo do índice de cada sistema de monitorização através de algoritmos próprios.3

Como expresso no estudo de Scheider et al6 por serem tecnologias de monitorização da profundidade anestésica diferentes existe uma correlação fraca entre elas, que não refletem o mesmo alvo clínico do nível hipnótico dos pacientes.

O Índice BISTM utiliza uma faixa de escala de leitura de 0 a 100, sendo valores mais próximo a 100 representados como atividade elétrica intensa, correspondente a uma pessoa acordada. As faixas iguais a 0 representam silêncio cortical, sem atividade elétrica.7 Para um manejo clínico dos pacientes em anestesia geral adequada objetiva-se que o paciente esteja com valor do BISTM ideal em uma faixa de 40 a 60.

ESTUDOS CLÍNICOS

O Sistema BISTM é o mais estudado dentre os monitores de profundidade anestésica, segundo Pryor e Veselis8 o BISTM apresenta mais de 4.600 estudos científicos em diversas áreas de aplicação, sendo o maior percentual de estudo sobre sua aplicabilidade em Anestesia Geral.
Dentre os benefícios clínicos observados pelos estudos conduzidos com a monitorização BISTM encontram-se:

  • Redução de delirium no pós-operatório9 
  • Redução do consumo de drogas anestésicas10-15
  • Redução do risco de despertar intra-operatório16,17
  • Recuperação mais rápida10,11,18 
  • Redução de náuseas e vômitos no pós-operatório19
  • Melhora na satisfação do paciente14 

A melhora no desfecho apresentado pelos estudos também é ressaltada no Certificado do Food and Drug Administration (FDA), entidade americana de regulamentação de dispositivos e medicamentos em território americano. Esta agência certifica que a tecnologia BISTM favorece a redução de incidência de despertar intraoperatório e redução do consumo de drogas anestésicas.20

SENSORES PARA MONITORIZAÇÃO

Parte importante do sistema de monitorização da profundidade da anestesia são os sensores, que deverão realizar a leitura do EEG para processamento do sinal pelos respectivos monitores. Segundo Musizza e Ribaric3 os sensores são um elemento essencial no processo de aquisição de dados e monitorização dos pacientes. Além da utilização de sensores que permitam uma captura do sinal de EEG adequada precisamos realizar a monitorização em diversos tipos de pacientes: adultos e pediátricos. A Medtronic disponibiliza em seu portfólio uma gama completa de sensores para monitorização dos seus pacientes:

  • Sensor Adulto Unilateral;
  • Sensor Adulto Bilateral e
  • Sensor Pediátrico

Conheça mais sobre a tecnologia do BISTM nos links abaixo ou solicite agora mesmo uma visita de um representante para mostrá-lo todos esses diferenciais no cuidado com o seu paciente.

REFERENCIAS BIBLIOGRÁFICAS

1. BRASIL. Entidades de Fiscalização do Exercício das Profissões Liberais / Conselho Federal de Medicina. RESOLUÇÃO 2.174, DE 14 DE DEZEMBRO DE 2017. Diário Oficial, Brasília, DF, 27 de fev. de 2018, seção 1, p. 75-84.
2. NUNES, Rogean Rodrigues et al . Consenso brasileiro sobre monitoração da profundidade anestésica. Rev. Bras. Anestesiol., Campinas , v. 65, n. 6, p. 427-436, Dec. 2015. 
3. Musizza B, Ribaric S. Monitoring the depth of anaesthesia. Sensors (Basel). 2010;10(12):10896–10935. 
4. Rampil IJ. A primer for EEG signal processing in anesthesia. Anesthesiology. 1998;89(4):980–1002. 
5. Kelley, Scott D. Monitoring level of consciousness during anesthesia and sedation, Natick, MA, 2003, Aspect Medical Systems. 
6. Schneider G, Mappes A, Neissendorfer T, Schabacker M, Kuppe H, Kochs E. EEG-based indices of anaesthesia: correlation between bispectral index and patient state index? Eur J Anaesthesiol. 2004;21(1):6-12. 
7. Johansen JW, Sebel OS. Development and clinical application of electroencephalogram. J Clin Monit. 1994;10:92-404. 
8. Pryor KO, Veselis RA. Chapter 29 – Consciouness and Cognitioin. 349-359 em: Hemming H, Hopkins P. Foundations of Anesthesia - 2nd edition. Mosby, 2006. 
9. Sieber FE, Zakriya KJ, Gottschalk A, et al. Sedation depth during spinal anesthesia and the development of postoperative delirium in elderly patients undergoing hip fracture repair. Mayo Clin Proc. 2010 Jan;85(1):18-26. 
10. Gan TJ, Glass PS, Windsor A, et al. Bispectral Index™ monitoring allows faster emergence and improved recovery from propofol, alfentanil, and nitrous oxide anesthesia. BIS™ Utility Study Group. Anesthesiology. 1997;87(4):808-815. 
11. Song D, Joshi GP, White PF. Titration of volatile anesthetics using Bispectral Index™ facilitates recovery after ambulatory anesthesia. Anesthesiology. 1997;87(4):842-848. 
12. Guignard B, Coste C, Menigaux C, Chauvin M. Reduced isoflurane consumption with Bispectral Index™ monitoring. Acta Anaesthesiol Scand. 2001;45(3):308-314. 
13. Pavlin DJ, Hong JY, Freund PR, et al. The effect of Bispectral Index™ monitoring on endtidal gas concentration and recovery duration after outpatient anesthesia. Anesth Analg. 2001;93(3):613-619. 
14. Luginbühl M, Wüthrich S, Petersen-Felix S, et al. Different benefit of Bispectal Index™ (BIS™) in desflurane and propofol anesthesia. Acta Anaesthesiol Scand. 2003;47(2):165-173. 
15. Bannister CF, Brosius KK, Sigl JC, et al. The effect of Bispectral Index™ monitoring on anesthetic use and recovery in children anesthetized with sevoflurane in nitrous oxide. Anesth Analg. 2001;92(4):877-881. 
16. Myles PS, Leslie K, McNeil J, et al. Bispectral Index™ monitoring to prevent awareness during anaesthesia: the B-Aware randomised controlled trial. Lancet. 2004;363(9423):1757-1763. 
17. Ekman A, Lindholm ML, Lennmarken C, Sandin R. Reduction in the incidence of awareness using BIS™ monitoring. Acta Anaesthesiol Scand. 2004;48(1):20-26. 
18. Wong J, Song D, Blanshard H, et al. Titration of isoflurane using BIS™ index improves early recovery of elderly patients undergoing orthopedic surgeries. Can J Anaesth. 2002;49(1):13-18. 
19. Liu SS. Effects of Bispectral Index™ monitoring on ambulatory anesthesia: A meta-analysis of randomized controlled trials and a cost analysis. Anesthesiology. 2004; 101(2): 311-315. 
20. 510 (k) Premarket [Internet]. Maryland: U.S. Food and Drug Admnistration; [Atualizado 06, abr 2020; Data da consulta 09, abr 2020]. Disponível em: https://www.accessdata.fda.gov/scripts/cdrh/cfdocs/cfPMN/pmn.cfm?ID=25620

Observação aos pacientes: Todos os dispositivos mostrados aqui são produtos de prescrição e devem ser obtidos de um profissional ou médico licenciado. Os pacientes não podem adquirir diretamente da Medtronic.

Reg. 10349000388, 10349000393, 10349000598 ©2020 Medtronic. Todos os direitos reservados. Medtronic, o logo da Medtronic e Outros, são em conjunto marcas registradas da Medtronic. ™* Marcas de terceiros são marcas registradas de seus respectivos proprietários. Todas outras marcas são marcas registradas de uma empresa da Medtronic.

Sobre o Autor

Jeniffer Fontan

Jeniffer Fontan é especialista clínica da Medtronic em Monitorização do Paciente. Seu principal foco é a disseminação de conceitos e aplicações das tecnologias de monitorização da Medtronic: BIS, Oximetria Nellcor, Capnografia Microstream, INVOS – Oxímetro Cerebral/somático e WarmTouch.

Conteúdos de Jeniffer Fontan

No Previous Articles

PRÓXIMO
Dr. Bruno Bravim
Dr. Bruno Bravim

Monitorização Cerebral em Unidade de Terapia Intensiva.

FAÇA SUA COTAÇÃO AGORA!

CLIQUE AQUI