5 perguntas importantes para comprar sensores de oximetria

Estipulamos diversos pontos importantes quando comparamos os produtos que iremos comprar: preço, qualidade, eficiência etc. Mas você sabe quais são os principais pontos que devem ser observados ao escolher o sensor de oximetria de pulso para seus pacientes?

Veja estas perguntas simples que você deve fazer ao avaliar sensores de oximetria. 

1. Posso confiar que os LEDs nesses sensores são iguais e apresentará qualidade na leitura do sinal?

A intensidade e a qualidade do sinal necessárias para leitura fidedigna dos valores de saturação de oxigênio arterial (SpO2) estão diretamente relacionadas com a perfeita interação entre os LEDs presentes no sensor, que emitem luzes vermelha e infravermelha, sendo que o processamento deste sinal é feito dentro do monitor de oximetria1.

Componentes de baixa qualidade alteram a emissão e intensidade do sinal, promovendo desajustes nessa sincronia, levando a leituras imprecisas7.

Uma das formas de redução de risco de má qualidade de sinal é a presença de curvas de calibração digital – DIGICALL. Esta tecnologia permite que cada sensor seja calibrado separadamente para manter a acurácia mesmo em diferentes situações de SpO2. O Digicall está presente exclusivamente nos sensores Nellcor™.

2. Este sensor está preparado para lidar com as interferências eletromagnéticas e da luz ambiente?

A leitura precisa dos valores de SpO2 está ligada às proteções luminosa e elétrica. As luzes presentes nos ambientes de monitorização e a radiofrequência eletromagnética podem interferir na leitura de oximetria. Para proteger e garantir precisão nas medidas de SpO2 é fundamental uma blindagem adequada do sensor para evitar que tais situações ocorram5

Sensores genéricos podem não possuir tal proteção, estando sujeitos a alterações na leitura, culminando em uma estimativa errônea, e muitas vezes elevada dos níveis de SpO2, potencializando os riscos ao paciente5

Escudo de Faraday é uma estrutura de proteção presente na tecnologia Nellcor™, que atua como barreira aos campos eletromagnéticos, protegendo contra a leitura de ruídos que poderiam alterar os valores de SpO2.

3. Meu paciente se sentirá confortável e não terá problemas na pele?

Frequentemente profissionais que atuam com o público neonato principalmente, relatam ocorrências de lesões na pele nesses pacientes oriundas de sensores de oximetria, o que de fato, não deveria ocorrer. É sabido que a epiderme do neonato é mais fina e qualquer injúria pode expor o paciente a agentes infecciosos, elevando o risco de morbimortalidade8.

Sensores Nellcor™ Oximax, asseguram perfeita adesividade e proteção a pele do paciente, pois são hipoalergênicos e livres de látex melhorando a adaptação a peles sensíveis, como a de um neonato, por exemplo. Além desses fatores de conforto e proteção da pele contribui ainda com o controle de infecção cruzada, pois são estéreis e de uso único6,3,7.

4. Mesmo em situações clínicas graves o sensor manterá a acurácia e será confiável?

Má perfusão e movimento do paciente são situações que estão presentes com frequência na prática clínica e sabemos que quanto mais crítico é o quadro do paciente mais importante e desafiadora se torna a monitorização de SpO2.

Sabemos que sensores com baixa qualidade podem levar a leituras superestimadas e podem até mesmo perderem a capacidade de exibirem valores, portanto devemos considerar sempre a prevalência de recursos de leitura de SpO2 que deem ao corpo clínico parâmetros confiáveis para traçarem a melhor estratégia de atendimento4,2,7. As tecnologias de leitura de oximetria presentes no mercado não são iguais e possuem diferentes níveis de confiabilidade e precisão, principalmente em baixos níveis de saturação de oxigênio.

A Tecnologia LOSAT de Nellcor™ Oximax, presentes nos sensores adesivos contribui para manutenção da leitura de SpO2 em faixas  de precisão não apenas nas gamas padrão de 70% a 100% de SpO2, e sim em valores  de 60% a 80% com níveis de acurácia de ±2% e ± 3% respectivamente, isso implica em ser o mais acurado possível em situações de alta complexidade, observados em quadros de baixa perfusão, motivados por hipotensão e/ou hipotermia, por exemplo.

5. Este é o melhor sensor que posso ofertar para meus pacientes?

Como observamos, os sensores de oximetria não são todos iguais. Vimos quão importante é garantir acurácia na leitura, segurança e conforto ao paciente em situações comuns no dia-a-dia e também nos casos mais complexos, onde cada detalhe pode fazer toda diferença.

A confiança no sensor deve sempre estar em primeiro lugar para aqueles que atuam junto no cuidado do paciente e se preocupam em ofertar tecnologia segura. Um sensor que possibilite leitura em baixa perfusão e movimento, calibrado individualmente e que contribua para o conforto e segurança do paciente devem ser sempre características observadas durante sua escolha.


Ofereça aos seus pacientes os sensores com tecnologia que você conhece e acredita, afinal, você confiaria sua vida a um desconhecido?!

Tem interesse de saber mais a respeito da Tecnologia e Sensores Nellcor Oximax? Entre em contato comigo ou nosso time comercial. Clique aqui!

REFERENCIAS BIBLIOGRÁFICAS

  1. Yelderman M, New W. Evaluation of Pulse Oximetry. Anesthesiol. Jun1984, 59 (4): 349-352
  2. Mannheimer PD, Casciai JR, Fein MW, Nierlich SL, Wavelegth selection for low-saturation pulse oximetry. IEE Trans Biomed Eng. 1997; 44(3): 148-158
  3. Hamilton J. Electromagnetic interference can use hospital devices to malfunction, McGill group warns. CMAJ. 1996; 154(3): 373-375
  4. Hatlestad D. Pulse oximetry an low perfusion . RT Magazine. 2007. http://www.rtmagazine.com/2007/02/pulse-oximetry-and-low-perfusion/.Published Ferbruary 7.2007.
  5. International Organazation for Standardization and International Electrotechnical Commission. Mecial electrical equipment Part 2-61: particular requeriments for basic safety and essential performance odf pulse oximeter equipment. 2011 ISO 80601-2-61: 2011(E).
  6. Davis C. Blood pressure cuffs and pulse oximeter sensor: A potential source of cross-contamination. Austalas Emerg. Nurses j. 2009; 12:104-109.
  7. Youzhi Li, Ph.D. and Keith Batchelder, Ph.D. Sensores de imatación no validados demuestran pobre desempeño - Los autores son empleados de Medtronic.
  8. Rolim KMC, Barbosa RMA, Medeiros RMG, Leite ML, Gurgel EPP. Permanência da membrana semipermeável na pele do recém-nascido: um cuidado diferenciado. Rev Rene. 2010 Jan-Mar; 11(1):144-51.

Registros ANVISA 10349000329 – MAX N / 10349000318 – MAX I / 10349000334 – MAX PI / 10349000328 –D-YS / 10349000396 – DS100A/ 10349000396 – FLEXMAX / 10349000595 – FLEXMAX-P ©2020 Medtronic. Todos os direitos reservados. Medtronic, o logo da Medtronic e Outros, são em conjunto marcas registradas da Medtronic. ™* Marcas de terceiros são marcas registradas de seus respectivos proprietários. Todas outras marcas são marcas registradas de uma empresa da Medtronic.

As opiniões dos artigos/colunistas exclusivamente aqui publicados apenas refletem a posição dos autores, não caracterizando respaldo, recomendação ou preferências da Medtronic ou qualquer outro envolvido nesta publicação. As pessoas que não aparecem no registro não estão autorizadas a falar em nome da Medtronic ou excluir qualquer outro tipo de material se não possuírem uma carta timbrada assinada por qualquer pessoa que conste no registro. Todos os direitos reservados. É proibida qualquer forma de reutilização, distribuição, reprodução ou publicação total ou parcial deste conteúdo sem a prévia autorização da Medtronic. Os comentários presentes nesta edição podem conter informação sobre produtos que não são vendidos no seu país ou região. Material exclusivo para Médicos e Especialistas da saúde. Para obter informação adicional, entre em contato com seu representante local.

Sobre o Autor

Tiago Strufaldi

Tiago Strufaldi é especialista clínico da Medtronic em Monitorização do Paciente. Seu principal foco é a disseminação de conceitos e aplicações das tecnologias de monitorização da Medtronic: BIS, Oximetria Nellcor, Capnografia Microstream, INVOS – Oxímetro Cerebral/somático e WarmTouch.

Conteúdos de Tiago Strufaldi

No Previous Articles

PRÓXIMO
DESSATURAÇÃO CEREBRAL
DESSATURAÇÃO CEREBRAL

Você conhece o impacto e como monitorizá-la?